Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) divulga resultados do Programa de Qualificação dos planos de saúde

Como o objetivo de ampliar a transparência, fornecendo informações detalhadas e periódicas sobre o desempenho do setor; permitir a comparação entre operadoras, induzindo a concorrência baseada em valor e reduzir a assimetria de informação, que compromete a capacidade do consumidor de fazer suas escolhas no momento da contratação de um plano de saúde. A Agência Nacional de saúde Suplementar (ANS) divulgou recentemente, os resultados do Programa de Qualificação das Operadoras 2018 (ano-base 2017), Índice de Desempenho da Saúde Suplementar (IDSS), definido pelo próprio sistema da Agência. Os dados divulgados apontam que o Índice de Desempenho da Saúde Suplementar (IDSS) geral do setor em 2017 foi de 0,7295, sendo 1,0 o valor máximo que pode ser atingido. A nota do Programa de Qualificação é apurada através do cálculo da média ponderada dos Índices de Desempenho das operadoras. Das 1.019 operadoras ativas em 2017, 858 atenderam aos requisitos para a divulgação dos resultados.

>> Confira o resultado das operadoras

O Programa de Qualificação das Operadoras – PQO é a iniciativa mais antiga desenvolvida pela Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) para o estímulo à qualidade setorial. É um instrumento que permite a avaliação anual do desempenho das Operadoras por meio de um conjunto de indicadores agrupados em quatro Dimensões:

1. Qualidade de Atenção à Saúde

2. Garantia de Acesso

3. Sustentabilidade no Mercado

4. Gestão de Processos e Regulação

A partir do IDSS ano-base 2017, o programa passou por uma grande reformulação, iniciando uma nova etapa com a introdução do uso do Padrão de Troca de Informações na Saúde Suplementar – Padrão TISS como fonte de dados para o processamento dos indicadores assistenciais, conferindo maior fidedignidade dos dados. O Padrão TISS foi estabelecido como obrigatório para as trocas eletrônicas de dados de atenção à saúde dos beneficiários, entre os agentes da Saúde Suplementar. O objetivo foi padronizar as ações administrativas, subsidiar as ações de avaliação e acompanhamento econômico, financeiro e assistencial das operadoras e compor o Registro Eletrônico de Saúde. O padrão TISS tem por diretriz a interoperabilidade entre os sistemas de informação em saúde públicos e privados. Desse modo, a utilização do Padrão TISS possibilitou a ampliação do escopo do Programa, permitindo a introdução de novos indicadores e o ajuste de outros.

Desse modo, com a finalidade de aprimoramento do Programa para conferir maior poder de comparabilidade, além de melhor aferir o desempenho das operadoras, houve 4 uma reestruturação no IDSS após o diagnóstico dos resultados do Programa. Essa reestruturação teve os seguintes direcionamentos, que permitiram maior precisão ao Programa:

• Conferir maior poder de comparabilidade entre as operadoras;

 • Focar em indicadores que induzam à qualidade;

• Conhecer o desempenho das Operadoras para subsidiar as políticas regulatórias;

• Estabelecer sinergia entre os diversos programas da ANS, em particular o Programa de Acreditação Operadoras e o Programa de Qualificação de Prestadores de Serviços na Saúde Suplementar – QUALISS;

• Focar no beneficiário com a previsão de utilização de linguagem mais amigável para o público leigo;

• Adotar da Pesquisa de Satisfação do beneficiário.

Fonte: Agência Nacional de Saúde – ANS

Leave a reply